Benefícios

Ergonomia e produtividade estão estritamente relacionadas!

Escrito por Macro Plataforma

A ergonomia trata-se do estudo sobre a relação entre o profissional e o seu ambiente de trabalho, avaliando os riscos no desempenho das suas funções e determinando as condições ideais para o exercício das atividades. Nesse contexto, ergonomia e produtividade estão diretamente ligadas.

Seja passando o dia de pé em uma linha de produção, seja sentado em uma cadeira em frente a um computador, todos os elementos que envolvem essa rotina devem ser analisados e adequados para uma prática mais confortável, desde a iluminação até a altura da mesa de trabalho, por exemplo.

Continue a leitura e entenda um pouco melhor essa relação e como ela pode reduzir alguns fatores, como cansaço, estresse e problemas de saúde, que podem levar ao absenteísmo e a altos índices de turnover. Acompanhe!

Redução dos afastamentos e ausências

O absenteísmo nas empresas é caracterizado pela ausência do colaborador, seja por faltas justificadas, seja por motivos de doença, saídas e atrasos, o que pode comprometer os resultados, já que muitas vezes o afastamento se dá por questões de saúde.

Quando as funções são desempenhadas em condições inadequadas, podem resultar em estresse, depressão, fadiga ou sintomas físicos, como dores na lombar ou de cabeça, fazendo com que o colaborador se ausente para cuidar da sua saúde.

Nesse contexto, apresenta-se a relação entre ergonomia e produtividade. Supondo que a sua equipe trabalhe em um escritório, ele deve ser bem iluminado, com monitores posicionados de acordo com a altura do colaborador e cadeiras que comportem o peso dessas pessoas.

Assim, o trabalho é realizado com mais conforto e concentração, de forma que os indivíduos consigam suprir as necessidades da empresa e, ao fim do dia, retornem satisfeitos para as suas casas.

Mais qualidade de vida

Hoje em dia, grandes profissionais não buscam apenas salários satisfatórios e uma política atrativa de benefícios. A qualidade de vida está ganhando espaço entre as exigências e, muitas vezes, assumindo o posto nas preferências dos candidatos, especialmente se eles passaram por uma má experiência anteriormente.

Ao se preocupar com a ergonomia, a empresa quer o aumento da produtividade, mas também mostra que a qualidade de vida das equipes é importante ao proporcionar um ambiente de trabalho favorável e ao diminuir as possibilidades desses colaboradores adquirirem uma doença ocupacional.

Melhora no clima organizacional

O clima organizacional é um conjunto de fatores que influenciam a forma como o ambiente de trabalho é percebido pelos seus colaboradores. O relacionamento com colegas de trabalho, os aspectos de liderança e a forma de gestão da empresa são elementos que contribuem para um ambiente favorável.

A ergonomia faz parte disso. Além de melhorar a relação com as equipes, ela diminui a frequência de reclamações a respeito das condições de trabalho e as ocorrências relacionadas à saúde ocupacional. Como consequência, há um reflexo positivo nos resultados da empresa, uma vez que trabalhadores satisfeitos produzem mais.

Os colaboradores se sentem valorizados quando a empresa demonstra se preocupar com o seu conforto e bem-estar. Isso melhora a imagem da entidade perante o mercado, refletindo diretamente na atração e na retenção de talentos.

Diminuição de desperdícios

Ergonomia e produtividade também significam uma diminuição expressiva no desperdício de tempo e de matéria-prima. 

Um ambiente de trabalho confortável não proporciona apenas motivação, mas também influencia diretamente a atenção dos trabalhadores. Quanto mais atentos, menos erros, e quanto menos se erra, menos se desperdiça.

A redução no tempo de execução das tarefas e uma rotina menos exaustiva resultam em uma equipe eficiente e na elevação da qualidade de produtos e serviços oferecidos pela empresa.

Redução dos efeitos negativos do sedentarismo

A vida dos colaboradores fora do espaço de trabalho também influencia o desempenho deles. A praticidade do mundo moderno, cada vez mais tecnológico, leva um número elevado de pessoas a ter uma vida mais sedentária.

E isso pode piorar quando o colaborador trabalha longas horas na mesma posição. A rotina, aliada à falta de atividade física, promove o chamado sedentarismo no trabalho, aumentando as chances do indivíduo desenvolver vários problemas, como hipertensão, dores musculares ou diabetes.

A ergonomia tem como objetivo reduzir esses efeitos negativos. Implementar algumas atividades, como a ginástica laboral, ou adicionar descontos em academias na gestão de benefícios pode auxiliar nessas questões e dar mais ânimo aos trabalhadores para que eles possam cumprir as tarefas do dia a dia.

Possibilidade de uma carga horária flexível

Citamos anteriormente que hoje em dia os profissionais não buscam apenas salários que satisfaçam suas necessidades e benefícios vantajosos. O mercado de trabalho vem se reinventando e a carga horária flexível é uma tendência que tem ganhando espaço.

Muitas empresas já adotam uma política de home-office ou simplesmente enxugaram a quantidade de horas que o colaborador precisa estar na empresa. Essas práticas também são medidas relacionadas à ergonomia.

Cada função desempenhada tem uma carga horária indicada a ser cumprida e, dependendo da posição em que o trabalhador tenha que exercer essa atividade, é preciso realizar uma quantidade de pausas satisfatórias durante o dia.

Nesse sentido, a empresa pode estudar uma maneira de eliminar o horário de entrada e de saída, trocando a jornada por produção ou horas diárias. Por exemplo, em vez pedir que o trabalhador entre às oito da manhã e saia às seis e meia da tarde, você pode exigir que ele trabalhe por seis horas diárias, estabelecendo os intervalos obrigatórios durante essa rotina.

Dessa forma, além de satisfeitos com a liberdade, os colaboradores poderão escolher os horários em que produzem mais e, consequentemente, apresentar melhores resultados.

Atuação da empresa dentro da lei

Preocupar-se com a ergonomia não é só uma questão de trazer qualidade de vida para o ambiente do trabalho. É uma medida legislativa e regulamentada pela NR 17, que estabelece padrões para as atividades laborais, garantindo segurança e conforto aos indivíduos.

A medida aponta que os contratantes devem realizar a Análise Ergonômica do Trabalho, avaliando se o imobiliário e os equipamentos são adequados às funções desempenhadas.

Ergonomia e produtividade, quando caminham lado a lado, resultam em qualidade de vida para os colaboradores e em resultados positivos para a empresa, deixando todos os envolvidos satisfeitos e proporcionando uma atividade mais confortável.

Nosso artigo foi útil para você? Gostaria de continuar recebendo informações tão relevantes quanto estas para a sua rotina de trabalho? Então assine nossa newsletter e receba nossas atualizações via e-mail. Até a próxima!

Sobre o autor

Macro Plataforma

Deixar comentário.