Gestão de Pessoas Incentivo

Como tornar a gestão de pessoas menos operacional e mais estratégica?

Escrito por Macro Plataforma

Não é novidade que as pessoas são o maior ativo de uma organização. Com elas estão o seu capital intelectual, seu principal diferencial no mercado, e, principalmente, as suas estratégias. No entanto, muitas empresas ainda optam pela gestão de pessoas tradicional, em vez de alinhar seus recursos humanos à estratégia do negócio.

No post de hoje, você vai conferir como alinhar seus principais recursos — as pessoas — a uma estratégia forte e concisa, por meio de políticas que tornem natural investir no capital humano. Continue conosco e descubra o que é a gestão de pessoas estratégica, a sua importância para o negócio e algumas das práticas adotadas por ela. Aproveite!

O que é gestão de pessoas estratégica?

A forma de gerenciar as pessoas mudou. E, com ela, as necessidades das empresas se transformaram. Modelos de gestão de pessoas desalinhados com a estratégia da empresa, que soam como soluções trabalhosas e nem sempre convincentes, estão com os dias contados.

Atualmente, com o alto fluxo de mercado, o ritmo acelerado e as equipes diversificadas e dinâmicas, é essencial que se institua um modelo de gestão de pessoas realmente condizente com a estratégia do negócio, com base em indicadores, com metas alinhadas com o seu objetivo.

Dessa necessidade surgiu a gestão de pessoas estratégica. Ela representa a combinação ideal do preenchimento das expectativas reais da empresa com a motivação e satisfação dos seus times de trabalho. Sabe o resultado? O crescimento da retenção de talentos e o estabelecimento de parcerias duradouras entre empresa e funcionários.

Tudo isso, é claro, demanda um pouco mais de investimento em capital humano. Mas engana-se quem pensa que isso é prejudicial. Pelo contrário, por fazer parte da estratégia da organização, o investimento em desenvolvimento humano só faz valorizar as entregas da empresa e fortalecer a sua marca.

Para isso, a gestão de pessoas estratégica deve incluir o fator humano desde a definição de aspectos importantes da empresa, como:

  • missão;
  • visão;
  • valores.

A cultura da empresa, composta por esses três fatores, deve comunicar o seu comprometimento com as pessoas que a integram. Além disso, é importante estabelecer os perfis desejados para compor as equipes, facilitando o alinhamento das contratações com a cultura empresarial.

Por que é importante para o negócio?

A gestão de pessoas estratégica acaba contribuindo em diversos aspectos dentro da organização. No entanto, existem alguns fatores que podem ser percebidos com mais clareza, como:

Motivação dos colaboradores

O conhecimento dos fatores de motivação das pessoas que compõem as equipes de uma empresa é fundamental. Por isso, alinhar a gestão de pessoas às estratégias da empresa envolve o estabelecimento de um ambiente de trabalho motivador, não só em relação à remuneração, mas em todos os aspectos.

Comunicação eficiente

Outro impacto característico de uma gestão de pessoas estratégica é a preocupação com a comunicação assertiva, que flui de forma transparente por todos os colaboradores, gerando clareza sobre os processos e estabelecendo uma relação de confiança com a empresa.

Trabalho em equipe

É quase uma consequência direta que uma gestão estratégica resulte em trabalho em equipe de qualidade, no qual cada um reconhece o seu papel e colabora com a construção coletiva de resultados.

Competências e conhecimento

A gestão de pessoas que olha para as necessidades reais do colaborador desenvolve suas fraquezas e impulsiona o seu potencial. Portanto, existe uma expansão das competências e do conhecimento adquirido pelas pessoas, transformando-se em importante diferencial competitivo.

Desenvolvimento pessoal e profissional

Uma gestão de pessoas estratégica e eficiente não se limita a olhar para seus colaboradores como meras peças de um jogo. As pessoas passam a ser talentos com potenciais a serem continuamente desenvolvidos, sendo papel da empresa apoiar essa transição.

Com tudo isso, fica fácil perceber que a gestão de pessoas estratégica vai além dos aspectos técnicos inerentes às funções de uma empresa. Ela leva em consideração os fatores humanos com todas as suas variações. 

Isso aumenta o engajamento, a satisfação, o comprometimento e a produtividade das equipes. Portanto, todos saem ganhando. Se você quer saber como tudo isso se torna real dentro das empresas, continue conosco!

Quais são as práticas adotadas?

Como a gestão de pessoas é o que garante que as equipes sejam desenvolvidas de forma adequada às suas necessidades profissionais, é importante que ela siga alguns passos no momento de decidir o que é realmente relevante para o negócio.

Nesse caso, realizar a gestão de pessoas estratégica depende de etapas básicas:

Avaliação de desempenho

Serve para identificar a situação atual de cada colaborador, como ele vem se saindo em relação às suas atividades e se existe algum comportamento a ser observado. Nessa etapa, cabem algumas ações pontuais, quando necessário, como treinamentos ou bonificações, por exemplo.

Feedbacks

Posteriores às avaliações, é muito importante que cada colaborador receba uma informação sobre a sua avaliação de desempenho. Essa é uma ferramenta poderosa, capaz de alinhar expectativas ou mesmo esclarecer pontos de melhoria.

Meritocracia

Fase importante para o reconhecimento e a recompensa de esforços. Se uma meta é alcançada, é importante que haja um reforço positivo sobre ela, geralmente com agradecimento público, mimos, premiações ou outros.

Realocação

Essa é outra etapa importante que permite reduzir as taxas de rotatividade e ainda ajustar as necessidades da empresa com os potenciais de um profissional específico. Quando uma pessoa talentosa não se encaixa em uma função, talvez seja interessante tentar aproveitar suas habilidades em outra.

Além disso, existem indicadores importantes que devem ser levados em consideração no momento de medir o desempenho das equipes e decidir quando implementar mudanças. Confira alguns deles:

Turnover

Índice de entrada, saída e rotatividade de colaboradores.

Absenteísmo

Medição de horas de atrasos, faltas ou saídas (justificadas ou não).

Retenção de talentos

Nível de eficiência das estratégias de manutenção do banco de talentos.

Custo de rotatividade

Cálculo dos custos com rescisões, investimentos em capacitação, treinamento e integração.

Produtividade

A produtividade é a medição do tempo, qualidade e custos das atividades.

Retorno sobre investimentos (ROI) em treinamentos

Mensuração da eficiência de treinamentos frente aos prejuízos evitados pela qualificação.

Essas práticas garantem que a empresa trabalhe buscando o sucesso de suas atividades, mas sem deixar de valorizar suas equipes.

Você conhece outras formas de realizar a gestão de pessoas estratégica? Conte-nos pelos comentários!

Sobre o autor

Macro Plataforma

Deixar comentário.